Como a economia digital revolucionará a cadeia de suprimentos e a logística? - ArgosUS
Como a economia digital revolucionará a cadeia de suprimentos e a logística? - ArgosUS

Como a economia digital revolucionará a cadeia de suprimentos e a logística?

0 comments 0 comentarios 0 comentários

Como a economia digital revolucionará a cadeia de suprimentos e a logística?

 

Os avanços tecnológicos estão remodelando nossas vidas pessoais e profissionais. Quando se trata de cadeia de suprimentos e logística, não é diferente: o novo ambiente digital está transformando a maneira como as mercadorias são enviadas e entregues.

 

5G, o uso de big data, inteligência artificial, blockchain, Internet das Coisas (IoT) são algumas das tecnologias que estão transformando o gerenciamento das cadeias de suprimentos.

 

Talvez o desenvolvimento mais importante seja a marcha em direção à visibilidade e transparência: os principais fornecedores de logística, como Maersk, UPS e FedEx, deram o primeiro passo e estão explorando ativamente a blockchain, que pode fornecer um registro aberto, transparente e imutável de contratos, ativos, transações e pagamentos .

 

A TradeLens foi anunciada em agosto de 2018, uma solução desenvolvida pela Maersk e IBM para aplicar blockchain à cadeia de suprimentos global do mundo. O TradeLens é o resultado de um acordo de colaboração entre a Maersk e a IBM, uma solução de remessa habilitada para blockchain projetada para promover um comércio global mais eficiente e seguro, reunindo várias partes para apoiar o compartilhamento e a transparência de informações.

 

A tecnologia também está transformando as indústrias alimentícia e farmacêutica: maior transparência, padronizações, rastreabilidade e eficiência em toda a cadeia de suprimentos são os principais benefícios com os quais os pioneiros e gigantes como Walmart e Merck estão apostando.

 

Grandes promessas para cadeias de suprimentos mais inteligentes. Como o seu setor está se preparando para uma cadeia de suprimentos digital mais inteligente?

 

Fonte: World Economic Forum, IBM, TradeLens

Share this:

Leave a Comment

Your email address will not be published.